Mãe, presente de Deus

Maio é o mês dedicado às mães. O segundo domingo deste mês é o dia reservado para elas. Há quem diga que não precisa de “um dia” para se lembrar das mães, que é uma conveniência comercial… De fato, o comércio lucra muito nessa data.

Mas vejamos o lado positivo disso tudo: Filhos correm em busca de presentes que agradem suas mães, que as deixem felizes e satisfeitas. Penso que, pelo menos a maioria faz isso com amor, preocupados em demonstrar quão importante é sua progenitora. Penso também que isso é bom.

Mães, infelizmente, não são lembradas todos os dias. Quantos de nós lembramos de agradecer diariamente pelo café da manhã que ela preparou, pela roupa limpa e passada, pela casa arrumada, pela comida… E quando não vivemos mais com ela, deixamos de ligar para saber se está tudo bem, se precisa de alguma coisa? Colocamos na correria do dia-a-dia a culpa por não demonstrarmos nosso amor.

Certamente há mães que preferiam não ganhar presentes, mas receber carinho, afeto, atenção e respeito… Respeito é fundamental porque as mães são jóias, são anjos, guardiãs da vida. Mães merecem tudo de bom.

Minha mãe sempre dizia: “uma filha só reconhece, de fato, o que é ser mãe, quando ela se torna uma”… Um dia, descobri que essa é uma das tantas verdades que minha mãe me falou ao longo de minha vida.

É claro que nem tudo são flores. Gerar uma vida e se responsabilizar por ela requer coragem. Há as dores do parto, as noites mal dormidas, o cansaço, inúmeras preocupações… E vale lembrar: uma mãe não o é por tempo determinado, não tem prazo de vencimento nem folga ou férias… Coração de mãe está ligado aos filhos por toda a vida, tenham eles dois, quinze, trinta ou cinquenta anos.

Mas sejam quais forem os problemas, tudo é amenizado quando a mãe vê que o filho está bem, feliz e saudável. Por isso, “ser mãe é padecer no paraíso”. Essa é outra coisa que só entendi o verdadeiro significado depois que me tornei mãe.

É bom que tenha um dia especialmente dedicado às mães. Um dia para que elas sejam olhadas com ternura, lembradas com gratidão. Assim como os filhos, mães gostam de ser paparicadas, adoram receber cafunés e até um colinho… Mães são fortes, mas são delicadas, são rochas, mas são flores. Mãe é amor, mãe é presente de Deus!

Compartilhar
Depoimento do Pe. Roberto